Bifobia no movimento LGBT

Agora em junho teremos em São Paulo, além da Parada Feira Cultural e PlayGay, uma porção de outros eventos lgbt e pretendo participar do maior número possível. Eu vou, mas não com muita esperança de me sentir representada. Explico por que.

Em abril fui na prefeitura votar para o Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual e a pessoa que estava contando os votos fez uma piada bifóbica infeliz. Imagino o que aconteceria comigo se eu fizesse piadas homofóbicas/transfóbicas naquele local. Ela disse “tava quase tirando a calça e falando pra me chupar pra ver se era mesmo” e depois disse q era só brincadeira para descontrair. Não acreditar. O clássico ¬¬

Lá fora onde muito mais gente comenta e documenta os casos de bifobia se encontra mais histórias para contar, como a dos jogadores bissexuais que não puderam jogar em um evento esportivo gay por não serem “gays o suficiente”,  e a história da policial bissexual que trabalhava no Castro,  onde a maioria dos policiais são homossexuais, e sofreu bifobia de suas colegas.

Para além da bifobia carregada por heterossexuais que nos consideram pervertidos, não existentes ou indecisos, a bifobia de origem homossexual inclui uma raiva a mais, um certo sentimento de mágoa, como se ser bi fosse traí-los, como se ser bi fosse não ter tanta coragem quanto eles de sair do armário, como se ser bi fosse dormir com o inimigo.

Em tempo, os heterossexuais obviamente não são o inimigo, mas é natural pensar que estamos sendo traidores para quem pensa assim, que homofobia e heterossexualidade caminham sempre juntas. Para quem tem esse sentimento maniqueísta revanchista maluco um “gay” ter algo “hetero” é passar para o outro lado sem querer perder a vantagem desse.

Outra idéia – que me parece um pouco menos difundida – é a de que bissexuais são heterossexuais que estão só se aproveitando, realizando algum fetiche e entrando deslealmente em mais uma concorrência.

Finalmente, a que mais me dói, citada alí no começo é a idéia de que se declarar bi salva a pessoa da homofobia como se ela não tivesse que enfrentar nenhum preconceito. Pelo contrário, sofremos preconceitos de todos os lados, nunca temos certeza de quem não vai agredir nossa identidade, é difícil arrumar namorado não bissexual que entenda isso e não morra de ciúmes, e os homofóbicos CONTINUAM sendo homofóbicos conosco.

Não deveria ser necessário dizer que a união é melhor para todos mas vou dizer aqui porque ser óbvio não parece ser suficiente. Nos excluir do movimento, nos desconsiderar, nos desrespeitar não vai fazer com que conquistemos mais direitos, melhores e mais rapidamente.

Se queremos respeito vamos todos juntos reivindicá-lo.

Anúncios

15 Respostas

  1. Cheguei ao seu blog através de um reply/retweet de um tweet meu sobre um texto em que duas moças desinformadas afirmavam categoricamente que homem bissexual não existe – e o pior: a pessoa que escreveu o texto nem discutiu; uma coisa é isenção jornalística, outra é aceitar de olhos fechados algo que é obviamente bobagem só para não cair em polêmica.

    Enfim, parabéns pelo ótimo texto.

  2. Gostei. Teu post me lembrou bastante o conceito de cidadania do Bauman. Ele relaciona cidadania a solidariedade, coisa que, no meu entendimento, está cada vez mais rara. Até mesmo entre as minorias políticas. Existe uma ideia muito difundida de tolerar o diferente, mas não de se preocupar ou tentar resolver o problema do outro. Cada um quer resolver o seu próprio problema e o resto que se vire pra resolver os seus. Homos e bis, em tese, deveriam ser mais solidários uns com os outros, mas não é isso o que acontece. Infelzmente.

  3. Bissexualismo existe sim pronto e acabo seus Bifobicos!!
    e naum qeremos surubas!! so amamos as pessoas pelos oq elas saum independente do sexo!!!!!!!
    naum misturamos!
    quandu estamos com homen so ficamos com homens!!!!!!
    quandu estamos com mulheres so ficamos com muheres!!!!
    naum samus pervertidos!!!! so qeremos ser reipeitados!!!!
    e provar q existe muher bi e homen bi!!!!!!
    e q o b da sigla lgbt existe sim!!!!!
    e espero o respeito dos heteros e dos gays!!!!
    abços fikam com DEUS!!!

  4. Daniela, foi um prazer conhecê-la ontem na Caminhada. Vendo o vídeo que foi postado ontem no youtube sobre sua presença na Caminhada e a articulação que quer fazer, sinto como se fosse um eterno recomeço. Lá mesmo na Caminhada estavam diversas mulheres e alguns homens que já se engajaram em tentativas de fazer espaços de acolhimento para bissexuais e um movimento bi no Brasil. Fique com meu contato, vamos seguir conversando. Tenho alguns materiais que foram escritos na época e uma rede de contatos em vários locais do Brasil. Espero poder ajudar.
    Um forte abraço!

  5. Vi a reportagem, parabéns pela iniciativa!
    Conte comigo. Indepentende dos quereres e opções, o respeito e a diversidade acima de qq coisa.
    Beijos!

  6. Olá,em primeiro lugar gostaria de parabelizar os organizadores do blog e pela iniciativa tomada.Goataria de parabelizar tambem a srta Daniele Furtado ,linda ¨Mulher*,pela entrevista fornecida a um canal de tv ( o qual eu não sei dizer o nome),mas pude observar a *Elegancia e a suteza da ¨linda mulher¨,ao expor seus pensamentos sobre a ¨sexualidade¨, parabéns garota Danile ,lá vai mais uma fã sua .Beijos .Obrigada pela iniciativa.

  7. Semana passada, no lançamento do livro “A TV no armário” de Irineu Ramos na Livraria Cultura, tive a oportunidade de conversar com um jovem que estava participando da solidificação do E-sampa (regional do grande E-Jovem) e presenciei na pele o quanto o Movimento LGBT ainda não está bem-informado à respeito da bissexualidade. O garoto me disse que não acreditava na bissexualidade e que este tema era controverso nos diálogos das reuniões deles (que estão se reunindo no Casarão Brasil). Fiquei desolado em ver que aquela era a posição de alguém inserido no Movimento, que teoricamente deveria estar despido dessas noções fraudulentas e pequenas sobre a sexualidade como algo fixo, rígido e dividido entre héteros e homos.

    Para piorar, no mesmo dia foi lançada na lista do ForumPaulistaLGBT uma matéria no qual consta a seguinte afirmação do Léo Mendes, da ABGLT:
    “Segundo Mendes, ninguém deixa de ser homossexual. “Quem muda é o bissexual, que estava vivendo a homossexualidade e passou a viver a heterossexualidade“”

    Constatei e contestei a construção dúbia da declaração de Léo no fórum, e fui recebido com o silêncio da invisibilidade.

    Sim, já é hora.

    Atenciosamente,
    Alex Tso.

  8. Segue abaixo o link para a matéria citada no comentário anterior:

    “Homofobia: Respeito ao próximo no centro do debate” – Jornal O POVO || http://www.noolhar.com/opovo/fortaleza/989781.html

    Atenciosamente,
    Alex Tso.

  9. Fala, Daniela, tudo ok?
    Muito legal seu blog.
    Como bissexual sinto tudo isso que você falou. Já coloquei seu blog na minha lista de páginas http://qlibertarios.blogspot.com/p/links-ligacoes-uteis.html
    Eu tenho um blog com uma visão um pouco diferente sobre essa questão LGBT, como mesmo você pode verificar. Mas penso que devemos abrir para diferentes ideias, não é? Fala-se tanto em diversidade que não vejo diversidade alguma.

    Um abraço para você e voltarei sempre que puder.

    Só uma nota: se você tiver algum e-mail para contato, gostaria de conversar com você, mas em particular.

    Washington

  10. Parabens, o texto foi muito bem colocado.
    Sou gay e nao bi. Ja tive pensamentos descritos no texto, mas vejo hoje que todo essa “raiva” e bifobia é uma besteira. E com certeza ganharemos com mais força e rapidez os nossos direitos juntos!

  11. […]  Quer saber mais – https://bisides.wordpress.com […]

  12. Dizer que o bissexual quer fugir do preconceito é errado demais. Afinal sofrerá preconceito pelo heterosexual e pelo homossexual tb.
    Eu fico passada quando vejo gays e lésbicas fazendo pouco caso de bi… pessoas q lutam tanto pelo sentimento e não pelo sexo… vem com 4 pedras na mão pra atirar nos bissexuais…
    Sinceramente é muita falsidade.. lutam tanto por um ideal, pelo respeito… e esquecem disso facilmente.
    Somos livres para amar e ponto.

  13. […]  Quer saber mais – https://bisides.wordpress.com […]

  14. Nossa! Eu sinceramente não sabia que existia todo esse apoio aos bissexuais! Gostei muito, descobri por um vídeo no YouTube com a nossa querida Daniela Furtado, dando uma entrevista! Eu realmente não sei por que a tanto preconceito no mundo…E não entendendo porque recebemos preconceito ate de gays, isso pra mim é inadimissivel! QUEM QUER SER RESPEITADO, TEM QUE RESPEITAR! RIDICULO ISSO DA PARTE DE GAYS, EU PENSAVA QUE ELES TINHAM UMA MENTE ABERTA PARA O MUNDO…MAS NEM TODOS SÃO ASSIM! As pessoas ainda tem muito a evoluir! Adorei essa iniciativa! Contem comigo pra tudo! Obrigado !

  15. É por um lado oque você disse é verdade sou gay e tenho muitos amigos heteros e gays tbm e só um que é bi mas toda vez que o vejo ele sempre está com meninos mas mesmo assim ele sempre fala que é bi o maior problema é que os gays quase que sempre se julgam bi, mas os bis nunca se julgam gays e é esse o conceito que precisamos quebrar no caso pois esse preconceito como muito bem colocado pela Daniela ele existe realmente pelo receio de homofobia que sempre sofremos sim mas que vocês também sofrem é bom essa observação pois mostra que reformas no movimento LGBT tem de ser feitas mas exponho logo que se todos fossem bi o mundo seria muito melhor assim penso… 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: